Ludmilla: de MC Beyoncé a diva pop – Conheça a história da cantora

por Rodrigo Dourado

A vida de Ludmilla Oliveira da Silva começa em 24 de abril de 1995, em Duque de Caxias, região metropolitana do Rio de Janeiro. A criança destemida que cantava em reuniões de família, fez seu público nos bailes funk com o nome artístico de MC Beyoncé.

Cresceu na carreira, mudou seu visual, suas composições e assinou com uma grande gravadora, assim se tornou Ludmilla de novo, uma diva pop brasileira.

Sua carreira é cercada de polêmicas, grandes sucessos, parcerias e vem de uma história de muita luta contra o racismo, homofobia e abandono paterno.

Funkeira que começou no pagode

Nas reuniões em família, Ludmilla se juntava ao grupo de pagode de seu padrasto para cantar, enquanto no YouTube postava vídeos com covers. O nome artístico que escolheu para se apresentar na plataforma de vídeos foi Mc Beyoncé, mas não chamou a atenção do público.

Sua carreira começou mesmo em uma festa na qual o DJ precisava de alguém que soubesse cantar e rimar para usar suas batidas. Ludmilla se apresentou e chamou a atenção dos organizadores da festa, que passaram a chama-la para outros eventos.

Foi apresentada ao produtor e MC Roba Cena, conhecido no meio do Funk. Assim, em maio de 2012, Ludmilla produziu sua primeira música em estúdio: “Fala Mal de Mim”. A música estourou e a então MC Beyoncé se apresentou em bailes funk pelo país, além de participar de programas de TV.

Ludmilla quando era MC Beyoncé

A cantora no início da carreira como “MC Beyoncé”. Foto: Marcelo Theobald/Expresso-Geral

Quase fim da carreira na música

Em 2013, Ludmilla publicou um vídeo no qual dizia estar sendo ameaçada por seu então empresário e que por isso estava encerrando sua carreira.

Pouco tempo depois desmentiu o fim da carreira, mas anunciou que não mais utilizaria o nome artístico MC Beyoncé, já que o nome pertencia ao empresário.

Desde então se apresenta com seu nome de batismo e mesmo com a troca de nome, a cantora resolveu a situação com o empresário e seguiu com a agenda de shows por mais alguns meses.

Em 2014, uma grande mudança na carreira. Ludmilla assinou com a Warner Music e lançou a música “Sem Querer” em janeiro daquele ano. Ela deixou de se declarar como MC por considerar que o mercado tinha preconceito com o funk.

Ludmilla tornou-se uma diva

Logo com o estouro de sua música na gravadora e mudança para uma imagem mais comercial, o cachê da funkeira triplicou e ela passou a contar com muito mais produção, além de uma agenda lotada.

Ainda em 2014, lançou seu primeiro álbum, “Hoje”, com parcerias com alguns de seus ídolos: Belo e Buchecha. O álbum contou com sucessos, além de “Sem Querer”, como “Hoje”, “Te Ensinei Certin”, “24 horas por dias” e “Não Quero Mais”

Capa do álbum "Hoje" de Ludmilla

Ludmilla na capa de seu primeiro álbum. Foto: divulgação/Warner Music

Com seu nome consolidado, Ludmilla transitou entre o pop e o funk, assim começou a produzir seu segundo álbum, “A Danada Sou Eu”, lançado em 2016 e um grande sucesso.

Sucesso do segundo álbum de Ludmilla

“A Danada Sou Eu” foi o que Ludmilla precisava para garantir solidez no mercado. Com participações de grandes artistas como Felipe Ret, Jeremih e Gusttavo Lima, o álbum trouxe uma sonoridade R&B, além do pop e funk, no álbum aclamado pela crítica e público.

A indicação ao Grammy Latino na categoria “Melhor Álbum Contemporâneo” e o sucesso dos singles “Sou Eu”, “Cheguei” e “Bom” provaram que Ludmilla veio para ficar. A agenda de shows continuou cheia e seu cachê só cresceu.

Além de seus lançamentos, Ludmilla também fez participações em músicas de outros artistas, como Zé Felipe e Biel, e começou a chamar a atenção pelas mudanças no seu rosto, como uma rinoplastia.

Muitas parcerias com outros artistas

Em 2018, a funkeira não lançou álbuns, mas lançou os singles “Não Encosta”, “Solta a Batida” e “Din Din Din”, que também foi jingle em uma campanha publicitária de uma operadora de telefonia móvel.

Em 2019, lançou um DVD ao vivo e colaborações com Simone e Simaria, Jão, Ferrugem, Leo Santana e Anitta, com quem lançou duas faixas e com quem teria fortes desentendimentos messes depois.

O DVD “Hello Mundo” trouxe músicas inédita e foi um grande sucesso, principalmente a faixa “Favela Chegou”, com Anitta, “A Boba Fui Eu”, com Jão, e “Invocada”, com Leo Santana.

Ludmilla assume relacionamento com dançarina

Dias após o lançamento do DVD “Hello Mundo”, em três de junho de 2019, Ludmilla e a dançarina Brunna Gonçaves assumiram um relacionamento, que segundo elas já teria sete meses.

Ludmilla, que até não tinha assumido sua bissexualidade, teria sido ameaçada por pessoas que sabiam da relação e até mesmo por blogueiros de fofoca. Esse teria sido um dos principais motivos para assumir o relacionamento. Brunna Gonçalves declarou em entrevista que as sabia que haveria impacto na carreira da namorada, mas apenas se importava com o relacionamento.

Ludmilla e Brunna Golçaves

Ludmilla e Brunna Gonçalvez assumiram relacionamento em 2019. Foto: reprodução/Instagram

No fim do ano, a cantora preparou um casamento surpresa para Brunna. Ela pediu para a namorada se arrumar para uma surpresa, chamou pessoas próximas e quando Brunna estava pronta e perguntou se ela aceitaria se casar. A cerimônio ocorreu na mesma hora, com direito a decoração.

Anitta e Ludmilla se desentendem

Em 2019, Ludmilla, Anitta e Snoop Dogg colaboraram na faixa “Onda Diferente”, um grande sucesso lançado no álbum “Kisses”, de Anitta, mas escrito por Ludmilla. As divas entraram em conflito logo após o Rock in Rio 2019.

Na ocasião, Ivete Sangalo cantou a música e Ludmilla comemorou nas redes sociais, porém foi criticada pelos fãs de Anitta por ter mencionado que a música era sua. Anitta chegou a se pronunciar para acalmar os seus seguidores e pedir paz, mas o mesmos divulgaram prints dos créditos da música em uma plataforma de stream, nos quais constam Anitta como co-compositora.

Na mesma época circularam rumores de que Anitta teria dito em áudio que foi ela quem indicou a música “Malokera”, de Ludmilla, para ser tocada no desfile de uma marca da cantora Rihanna, mas Ludmilla teria descoberto que Anitta não teve nenhuma influência na escolha da música para o evento.

Ludmilla ganha Prêmio Multishow

No fim de outubro, um mês após a explosão do atrito com Anitta, Ludmilla se apresentaria no prêmio Multishow, prêmio ao qual também estava indicada em algumas categorias, inclusive na categoria “Música Chiclete”, com “Onda Diferente”, parceria com Anitta, que por sua vez apresentaria a premiação. O mal estar estava pronto.

“Onda Diferente” ganhou o prêmio e apenas Ludmilla e Papatinho, produtor da canção, subiram ao palco para receber a estatueta. O público, principalmente fãs de Anitta, vaiaram Ludmilla, que não mencionou Anitta no discurso de agradecimento.

Minutos depois, a funkeira venceu o prêmio “Cantora do Ano”, o qual Anitta também concorria. Ao receber o prêmio, chorou e mencionou as vaias. Após a exibição do prêmio circularam vídeos na internet, nos quais alguém da plateia xingava a vencedora da categoria de “macaca” enquanto ela subia ao palco para receber o prêmio.

O caso tomou grande repercussão e até mesmo Anitta se manifestou contra os ataques racistas sofridos por Ludmilla, sem mencioná-la, em suas redes sociais.

Ludmilla expõe conversas com Anitta

A briga com a dona do hit “Show das Poderosas” não se limitou entre o Rock in Rio e o Prêmio Multishow de 2019. Após Anitta citar a ex-parceira em seu programa “Anitta Dentro da Casinha”, do Multishow, Ludmilla se manifestou em seu Instagram.

Primeiro, Ludmilla postou em seus stories que não quer mais falar com Anitta e mostrou um áudio que enviou para ela, no qual pedia para Anitta parar de falar o nome dela.

Anitta e Ludmilla juntas em clipe

Anitta e Ludmilla no clipe de “Onda Diferente”.Foto: reprodução/YouTube

Na semana seguinte, no dia 15, a cantora retornou ao Instagram, mas dessa vez com um vídeo no qual divulgou áudios e conversas com Anitta, com detalhes do desentendimento das duas no ano anterior. Nos áudios Anitta diz que não colocou o nome como compositora, falou de mal estar de Ivete Sangalo e disse que foi um amigo dela quem pediu para colocar a música de Ludmilla no desfile da marca da Rihanna.

Cantora vence processo contra Val Marchiori

No carnaval de 2016, quando participou da cobertura dos desfiles das escolas de samba, Val Marchiori disse que a peruca usada pela cantora pareceria uma esponja de aço. O comentário foi tido como racista e a cantora processou a socialite.

Em 2018, a justiça condenou Val a pagar uma indenização de R$10 mil, mas ela recorreu. Val Marchiori declarou em entrevista que não fez nenhum comentário racista, nem sobre a índole de Ludmilla, e que apenas deu sua opinião.

Em julho de 2020, o recurso foi julgado e a sentença foi ainda mais favorável à cantora, com aumento da indenização para R$30 mil.

Ludmilla é ativa nas redes sociais

A funkeira está presente nas principais redes sociais, mas a mais presente no seu dia-a-dia é o Instagram. Por lá, Ludmilla mostra bastante de sua rotina, lança campanhas para chamar a atenção para os seus lançamentos, causa intrigas e constantemente se declara por sua namorada.

São quase 25 milhões de seguidores que acompanham Ludmilla na rede social e foi lá que a cantora escolheu para assumir o seu relacionamento com Brunna Gonçalves, que abalou a internet e principalmente seu público LGBTQI+.

Ludmilla causou ainda mais quando escolheu o Instagram para expôr Anitta e em seguida fazer uma divulgação massiva do single “Cobra Venenosa”. Ela apagou todas as postagens do feed e adicionou imagens de cobras instigar a curiosidades dos seguidores.

Related Articles

Deixe seu comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia Mais