fbpx

Angélica – A apresentadora que marcou a infância das crianças anos 90 e 2000

por Brenda Borges

Nascida em Santo André e criada em São Bernardo do Campo, Angélica é uma apresentadora, atriz e ex-cantora brasileira. 

Começou a carreira na televisão aos 13 anos na Rede Manchete, onde comandou o Clube da Criança, o Nave da Fantasia e o Milk Shake. No SBT apresentou a Casa da Angélica, o TV Animal e o Passa ou Repassa

Na Rede Globo estreou em 1996 com Angel Mix e fez as telenovelas infantis Caça Talentos, Flora Encantada e Bambuluá. Mudando o foco para o público jovem, comandou o Vídeo Game, o talentshow Fama e o Estrelas.

Seu primeiro álbum no ano de 1988 acabou lhe projetando para o sucesso nacional com o sucesso “Vou de Táxi”. 

Angélica – uma infância marcada pela depressão

Angélica Ksyvickis, mais conhecida pelo nome artístico de Angélica é filha da dona de casa Angelina Ksyvicks e do metalúrgico Francisco Ksyvicks, tendo ainda como irmã mais velha a empresária Márcia Marbá.

Seu nome é em homenagem à mãe Angelina que, após diversas tentativas de ter um segundo filho, conseguiu engravidar de uma menina. Tem uma pinta de nascença na perna esquerda, que sempre foi sua marca registrada.

Na época de sua infância, seu pai foi baleado durante um assalto, ficando hospitalizado em estado grave, o que lhe causou um trauma e fez com que desenvolvesse depressão e síndrome do pânico, o que a levou a frequentar sessões de psicoterapia. Com medo de sair de casa, Angélica tinha como passatempo imitar as chacretes que via dançando na TV, já desejando ser uma artista.

Destaque na Buzina do Chacrinha

Angelina, mãe de Angélica, questionou-lhe um dia se ela tinha vontade de participar da atração e surpreendeu-se com a resposta positiva, levando Angélica para o programa Buzina do Chacrinha na Rede Bandeirantes.

Em 1979, a apresentadora acaba chamando a atenção do apresentador que faz com que ela participe do programa no concurso da “Criança mais bonita do Brasil”, Angélica acaba vencendo o concurso por dois anos seguidos.

Angélica durante sua infância

Apresentadora Angélica durante sua infância. (Foto: Reprodução/ Google).

Aos 12 anos, integrou o grupo infantil Ultraleve, inspirado no Balão Mágico, que também trazia Rodrigo Faro e Ticiane Pinheiro, porém o grupo durou apenas seis meses, uma vez que os três foram convocados para se tornarem apresentadores em emissoras diferentes.

Estreia de Angélica como apresentadora aos 13 anos

Como apresentadora, começou em 1987, aos 13 anos sendo descoberta pelo diretor Maurício Sherman nos corredores da extinta Rede Manchete, segundo o diretor, ele viu na jovem menina um grande potencial artístico.

Iniciou no programa infantil “Nave da Fantasia” em abril de 1987, substituindo Simony que migrava para o SBT, e no juvenil “Shock”. Porém, o maior sucesso veio quando substituiu a apresentadora Xuxa no comando do Clube da Criança, a partir de outubro de 1987. 

Inicialmente Angélica tinha a companhia de Ferrugem na apresentação do infantil, mas logo o ator deixou o programa e Angélica passou a apresentar sozinha, alcançando grande sucesso na imprensa não apenas pela sua maneira de conduzir o Clube, com os bordões “Um Beijãozão” e “Bye que Bye Bye Bye”, mas principalmente por sua beleza e charme. 

Apresentadora como modelo de comportamento brasileiro

Aos 15 anos teve seu primeiro namorado, César Filho, 13 anos mais velho, o relacionamento só foi exposto ao público em 1991, quando ela completou a maioridade, evitando sensacionalismo.

Na época, Angélica era considerada um “modelo de comportamento” para os adolescentes e seu nome se tornou sinônimo de uma atitude “pura, conservadora e inocente” a apresentadora jurava que se casaria virgem. Mesmo com esse comportamento, sua imagem pública era vista por uma parte da mídia e do público como uma “estratégia de marketing”.

Algum tempo depois, ela declarou que perdeu a virgindade com César aos 17 anos. Eles ficaram noivos e aos 23 anos após 7 anos juntos, Angélica rompeu o compromisso com César. Depois, teve um relacionamento com o ator Márcio Garcia que durou três meses.

Adolescência tardia e rebelde de Angélica

Em 1997, começou a namorar Maurício Mattar, vivendo um relacionamento conturbado, cheio de idas e vindas, e a família dela não queria o relacionamento por ele ter se envolvido com drogas

Angélica cresceu aos olhos do público e não conseguiu aproveitar a adolescência, por conta do trabalho, ela diz em entrevistas que a “rebeldia” veio de forma tardia só aos 22 anos percebeu que por conta do trabalho não tinha tido a sua fase adolescente e queria fazer coisas que qualquer jovem de sua idade faziam. 

Na época, a apresentadora chegou a viajar com o namorado escondido de sua família para o Chile, mas acabou virando capa de revista ao lado do namorado e o seu pai que não aceitava o relacionamento foi parar no hospital e Angélica teve que voltar correndo para o Brasil. Em 2001, eles se separaram.

Casamento do casal Luciano Hulk e Angélica

Em 2002, Angélica começou a namorar o empresário Luís André Calainho. Com nove meses de namoro eles ficaram noivos, mas depois de alguns meses, se separaram e a apresentadora voltou a namorar o cantor Maurício Mattar, após o cantor declarar à imprensa que Angélica era a mulher de sua vida

Em julho de 2003, Angélica começou um romance com o apresentador Luciano Huck nos bastidores do filme “Um Show de Verão” enquanto namorava Maurício Mattar, vindo a terminar com o cantor em novembro de 2003. 

No final de 2004, casou-se grávida no civil e no religioso com o apresentador de televisão Luciano Huck, com quem se relacionava desde 2003. O casamento foi marcado por elegância e convidados ilustres, com um rígido sistema de segurança para evitar penetras.

Luciano Hulk, Angélica e seus três filhos

Apresentadora Angélica, seu marido Luciano Hulk e seus três filhos. (Foto: Reprodução/ Google).

Todos os três filhos do casal nasceram por intervenção cesariana. O primeiro, Joaquim, nasceu em 2005, o segundo, Benício, nasceu em 2007. Segundo a artista, sua terceira gravidez foi planejada, diferente da anterior. A primeira menina, Eva, nasceu em setembro de 2012.

O grande sucesso do programa Milk Shake

A partir de 1988 paralelamente ao Clube da Criança, Angélica também passou a apresentar nas tardes de sábado da Rede Manchete o programa de atrações musicais Milk Shake, onde interpretava vários personagens.

Com o sucesso na TV, Angélica acaba sendo contratada pela gravadora CBS Records no mesmo ano de 1988 e lança seu primeiro álbum de estúdio, que lhe rendeu o hit “Vou de Táxi”, música que atingiu as paradas de sucesso da época. Nos anos seguintes Angélica voltaria a lançar outros discos que acabavam tendo uma forte divulgação tanto no “Clube da Criança” quanto no “Milk Shake”

Além dos números musicais, a apresentadora havia também espaço para a dramaturgia. Angélica treinou seu lado atriz em esquetes relacionadas ao tema de cada episódio. Toda semana com uma proposta diferente como: Idade Média, Cinema Mudo, Espaço Intergaláctico, Novelas e uma sátira do programa de Chacrinha.

Dono da Manchete pede para Angélica ficar na emissora

Ainda na Rede Manchete, protagonizou em 1991 a minissérie “O Guarani”, no papel de Cecília de Mariz, onde foi muito elogiada por sua atuação. A apresentadora permaneceu na Rede Manchete por 6 anos, de 1987 até 1993, sendo esse considerado um período de muito sucesso. 

Os projetos da apresentadora no canal foram suspensos em razão de sua ida para o SBT. A apresentadora já havia recebido um convite de Silvio Santos em 1988, mas, na época recusado, estava também em negociações com a Globo. Contudo, a emissora-líder pretendia mantê-la apenas em um programa musical no estilo Milk Shake

O objetivo era desvincular sua imagem de apresentadora infantil para promovê-la como atriz em um papel na novela “O Mapa da Mina”. Angélica resistiu a proposta pois não pretendia abandonar o público infantil naquele momento e assinou o contrato com o canal de Silvio Santos. No dia que assinou o contrato, recebeu uma correspondência de Adolpho Bloch (dono da Rede Manchete) dizendo que ela não deixasse a emissora, porque ele havia assumido o controle da empresa, mas, à essa altura, Angélica já havia assinado contrato com o SBT. 

Apresentadora Angélica em seu programa Milk Shake

Apresentadora Angélica em seu programa Milk Shake. (Foto: Reprodução/ Google).

Rompimento da apresentadora com o SBT

O ingresso de Angélica no SBT se deu com a estreia na emissora com o Casa da Angélica, o programa tinha desenhos animados, musicais, brincadeiras com a plateia e quadros de humor, dos quais Angélica participava com vários personagens como “Anjôlica”, “Angélia”, “Angelicastrid”

Alguns anos depois, em 1995, Angélica passou a substituir Gugu nos programas Passa ou Repassa e TV Animal que passam a ser exibidos diariamente. Não demorou muito para se firmar, ainda mais, como ídolo das crianças e adolescentes e se tornar a menina dos olhos de Silvio Santos. 

Com seu sucesso na TV, recebe novamente a atenção dos diretores da Rede Globo com a promessa de ocupar diariamente as manhãs do canal, a apresentadora acaba aceitando o convite e deixa o SBT em maio de 1996. 

Sucesso de Angélica na emissora Globo

Em setembro de 1996 Angélica estreou na Rede Globo com o programa infanto-juvenil Angel Mix, a partir do ano seguinte, com o sucesso de audiência o programa ocupou toda a manhã da Rede Globo. 

No início, o Angel Mix era composto apenas por brincadeiras e gincanas entre as equipes Azul e Laranja, cerca de 500 crianças ficavam acomodadas em um cenário que tinha uma arquibancada e duas passarelas de dois andares, montadas no Teatro Fênix. Após seu programa, entrava no ar a novelinha infantil, Caça Talentos, no qual Angélica interpretava a protagonista fada Bela, uma órfã de origem humana que devia decidir entre viver na realidade ou no mundo da fantasia. 

Em março de 1998, o programa Angel Mix foi reformulado e passou a ter a praia como tema central em seu cenário, nas datas festivas, o ambiente era transformado, ganhando o clima da comemoração em questão, como a Copa do Mundo, as Festas Juninas ou a chegada da Primavera. 

Angélica decide desistir da carreira de atriz

Com quatro horas diárias na programação da Rede Globo e fazendo sucesso entre crianças e jovens, Angélica passou a ter sua própria empresa de produção, a Angélica Produções, o nome da apresentadora se transforma em uma marca de sucesso. 

Em  junho de 2000 após muitas reformulações o programa Angel Mix deixou de ir ao ar, dando lugar ao Férias Animadas onde Angélica fazia viagens e apresentava desenhos como o sucesso Digimon ficou até meados de agosto. Angélica também era âncora da extinta TV Globinho, que nesta atração virou um quadro do programa com esquetes e desenhos. No mesmo ano, em 21 de dezembro, insatisfeita em ser apenas atriz, Angélica decidiu por fim no Bambuluá para dedicar-se como apresentadora.

No fim de 2001, decidida a retomar a carreira de apresentadora, apresentou para a emissora o projeto de um game show voltado ao público jovem, o qual faria a passagem dela do público infantil. Em dezembro daquele ano passou a comandar o game show “Video Game”.

Estreia do programa “Estrelas”

Em abril de 2002 passou a comandar também o talentshow Fama, programa voltado à descobrir novos talentos musicais no qual ficou por quatro temporadas, até o final de 2005, também participou em alguns capítulos do Sítio do Picapau Amarelo, disfarçada de cuca.

A partir de abril de 2003, Angélica e André Marques passam a apresentar juntos a edição especial de sábado do extinto Vídeo Show, que exibia os melhores momentos do programa, os apresentadores começaram a fazer sátiras de outros apresentadores, e reproduzir cenas e aberturas marcantes das novelas da emissora de forma bem-humorada.

Em abril de 2006, Angélica passa a substituir o Vídeo Show nas tardes de sábado com seu próprio programa, “Estrelas”, no qual entrevistava artistas em locais que faziam parte do dia a dia ou da história da personalidade. 

Angélica durante o programa Estrelas

Angélica durante o programa Estrelas. (Foto: Reprodução/ Google).

A apresentadora visitava a casa dos convidados, acompanhava em passeios ou em atividades que fazia parte de sua rotina. Nas férias de janeiro e julho, o Estrelas exibia suas temporadas de verão e inverno. Angélica entrevistou grandes artistas da televisão brasileira no programa e também nomes da música, esporte e culinária. No final de 2011, o quadro Video Game deixou a programação após 10 anos no ar, Angélica dedicou-se apenas ao Estrelas.

Apresentadora e família sofrem acidente de avião

Em maio de 2015, Angélica sofreu um acidente de avião no Mato Grosso do Sul com seu marido, e seus 3 filhos e 2 babás depois de ter gravado o especial do seu programa Estrelas, no Pantanal. 

Apesar de alguns leves ferimentos o acidente que teve a atenção da mídia nacional, todos ficaram bem. Em 2016, ela revelou em entrevista para a revista Trip que busca curar o trauma do acidente com a família através da prática de meditação. Após investigações, constatou-se que o capacitor da aeronave estava invertido, sendo propulsor o incidente

Em abril de 2017, o seu programa Estrelas passa por uma grande reformulação, mudando sua estrutura passou a ser exibido em duas temporadas: a primeira, “Estrelas Solidárias”, estreou em 8 de abril de 2017 nos 11 anos do programa e terminou em 18 de agosto. 

Angélica volta para à TV com novo programa em Outubro

Em agosto de 2017, o programa passou a se chamar Estrelas do Brasil, em que Angélica e seus convidados viajavam para conhecer lugares e pessoas que faziam sucesso em seus estados e regiões.

Em novembro de 2017, Angélica volta ao comando do quadro Vídeo Game do Vídeo Show, 6 anos depois de seu fim em uma rápida temporada de três semanas, numa tentativa de reverter a baixa audiência do Vídeo Show, porém, a volta do quadro não conseguiu salvar o programa, que continuou registrando baixos índices. Em abril de 2018 o Estrelas foi cancelado.

Foi anunciado no início do mês de setembro, o novo programa de Angélica, “Simples Assim”, que vai estrear no próximo dia 10 de outubro e será exibido aos sábados, segundo a emissora Globo.

Em comunicado divulgado pela emissora, Angélica vai “refletir sobre temas universais, dividindo e contando boas histórias de pessoas anônimas e famosas, sempre através de um olhar empático, bem-humorado e sem julgamentos”. 

A apresentadora também fará papel de atriz em esquetes de humor sobre situações cotidianas ao longo dos programas. Também haverá o quadro “Dilemas da Vida Real”, em que anônimos relatam impasses de suas vidas.

A apresentadora estava fora da TV desde o fim do “Estrelas”, programa que apresentou por 12 anos. Em seu Instagram, Angélica falou sobre seu novo programa e comemorou a volta para TV com seus fãs.

Related Articles

Deixe seu comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este site.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia Mais